Notícias Gospel (neste email contem: 9 novas notícias)

Filed under: by:

guiame.com.br's news

Notícias Gospel (neste email contem: 9 novas notícias)

Link to guiame.com.br's news

Ap. Rina, fundador da Bola de Neve Church, lança novo livro

Posted: 23 Jul 2018 08:17 AM PDT

Ap. Rina, fundador da Bola de Neve Church, lança novo livro

Nem todo sonhador é um líder, mas todo líder é um sonhador! Isso ocorre porque a concretização dos sonhos e metas requer motivação, comprometimento, informação e capacitação, para que as ideias não fiquem restritas ao plano imaginário. O líder conectado com seu propósito de vida sabe que a realização dos sonhos que queimam em seu coração pode influenciar o dia a dia de muitos, por isso é fundamental que ele seja prudente, sábio e perseverante, a fim de não desperdiçar tempo e oportunidades para gerar valor aos seus empreendimentos e ajudar aqueles que estão ao seu redor.

Com o intuito de despertar o potencial dos leitores na busca pelos mais elevados patamares, Rinaldo Seixas, o Ap. Rina, fundador e líder da Bola de Neve Church, escreveu Realize seus sonhos - Como se tornar um líder de sucesso ao cumprir sua missão, lançamento da Editora Mundo Cristão. Na obra, Rina orienta os leitores na descoberta de seu propósito na vida, para que possam, a partir disso, aplicar as atitudes corretas e atingir grandes objetivos, seja nas esferas pessoal, profissional ou espiritual.

De acordo com Rina, o verdadeiro líder tem o poder de influenciar positivamente todos aqueles que estão ao seu redor, gerando engajamento e paixão por uma visão. Conforme aponta no livro, o líder bem-sucedido não esmorece diante dos inimigos, mas se mantém fiel aos propósitos de Deus, sem negociar sua visão, sem desistir, sem permitir que pessoas ou situações determinem seu destino e sem aceitar que nada o paralise. Com isso em mente, em Realize seus sonhos, ele esboça princípios para que o leitor desenvolva resiliência, foco e persistência ao superar obstáculos inerentes à caminhada.

Realista, mas altamente motivador, Rina deixa claro que a realização de um sonho tem um custo que envolve renúncia, disposição e sofrimento. Todavia, até mesmo as situações mais dolorosas podem ser usadas por Deus para ensinar e preparar o líder para o alcance de grandes conquistas. Dessa forma, nenhuma experiência é desperdiçada, mas, sim, usada por Deus para formar o caráter de um líder altamente capacitado, forte e íntegro, que entende que todo resultado significativo requer esforço e disciplina.

Realize seus sonhos é literatura indicada para quem deseja ser um líder visionário, seja um estudante, um profissional ou alguém engajado na comunidade. Um verdadeiro plano de voo para quem quer ir ainda mais alto.

O livro chega às principais livrarias do Brasil a partir de agosto. O preço do impresso é R$26,90. O E-book será vendido por R$18,90.

Sobre o autor:

Rinaldo Luiz de Seixas Pereira é líder e fundador da Igreja Bola de Neve. Formado em Comunicação Social, é pós-graduado em Administração em Marketing. Criou o Instituto Global de Ensino Teológico, que forma líderes, missionários e pastores. Tem como objetivo de vida conectar as próximas gerações ao coração de Deus. É casado com a pastora Denise de Seixas Pereira e é pai de Nathan, Rinaldo Neto, Raquel  e Renan.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

A igreja que precisamos ser

Posted: 23 Jul 2018 07:46 AM PDT

A igreja que precisamos ser

O apóstolo Paulo, o maior bandeirante do Cristianismo, escrevendo sua primeira epístola aos coríntios, destaca três características da igreja. Depois de alertar para o fato de divisões internas na igreja (cap. 1-4), problemas morais (cap. 5), contendas entre os crentes (cap. 6), problemas familiares (cap. 7), falta de compreensão sobre os limites da liberdade cristã (cap. 8-10), incompreensão e indisciplina na celebração da ceia (cap. 11), o apóstolo passa a tratar sobre dons espirituais e a maneira como os membros devem tratar uns aos outros (cap. 12). Destacamos três verdades solenes:

Em primeiro lugar, a unidade da igreja (1Co 12.12,13). O corpo é um, mas tem muitos membros. Os membros embora muitos e diferentes fazem parte de um só corpo. Os membros de um corpo cooperam uns com os outros em vez de guerrear uns com os outros. Os membros protegem uns aos outros em vez de ferir uns aos outros. Todos os membros trabalham para o corpo. Vivem para servir ao corpo. Cada membro tem seu valor e cada um é indispensável para o bom funcionamento do corpo. Todos nós, diferentes membros do corpo, sejam judeus ou gentios, ricos ou pobres, doutores ou analfabetos, homens ou mulheres, jovens ou anciãos, fomos batizados pelo mesmo Espírito no mesmo corpo. Somos uma unidade. Somos um só corpo, uma só família, um só rebanho, uma só igreja.

Em segundo lugar, a diversidade da igreja (1Co 12.14-24). Depois de tratar da unidade do corpo, Paulo passa a falar sobre a diversidade dos membros. No corpo os membros são diversos, mas não descartáveis. Têm funções diferentes, mas nenhum membro é autossuficiente. Os membros embora diferentes não vivem para si, vivem para servir uns aos outros e trabalhar para o bem do corpo. Nessa diversidade, dois perigos devem ser evitados: Primeiro, o complexo de inferioridade (1Co 12.15-17). O pé não pode dizer à mão: porque não sou mão, não sou do corpo. O ouvido não pode dizer ao olho: porque não sou olho, não sou do corpo. Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato? Os membros do corpo não disputam preeminência, pois foi Deus quem dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve (1Co 12.18). Já imaginou um corpo com um só membro? Não seria um corpo! (1Co 12.19).

Paulo conclui dizendo: “O certo é que há muitos membros, mas um só corpo” (1Co 12.20). O segundo perigo: o complexo de superioridade (1Co 12.21-24). O apóstolo Paulo argumenta: “Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós” (1Co 12.21). Os membros do corpo que parecem mais fracos são necessários e também revestidos de mais honra. É assim que Deus dispôs os membros no corpo, para que não houvesse sentimento de autodesprezo nem atitude de arrogância. A igreja não é uma feira de vaidades nem uma passarela onde cada se exibe. A igreja é um corpo, onde os membros são diferentes e cada deles de máxima utilidade e importância.

Em terceiro lugar, a mutualidade da igreja (1Co 12.25,26). Nossas diferenças como membros do corpo não devem estimular a divisão da igreja, mas a mútua cooperação. Devemos cooperar uns com os outros em vez de lutar uns contra os outros. Devemos proteger uns aos outros em vez de ferir uns aos outros. A dor de um membro deve ser a dor dos outros membros. Ao mesmo tempo, as alegrias de um membro devem ser a celebração dos outros membros. Paulo é enfático, quando diz: “De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam” (1Co 12.26). Que honremos a Jesus, o cabeça da igreja, observando seus preceitos, e a cuidando uns dos outros, para que a igreja cresça e se fortaleça para a glória de Deus.

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

Conheça a história da missionária sueca que marcou o início da igreja no Brasil

Posted: 23 Jul 2018 07:38 AM PDT

Conheça a história da missionária sueca que marcou o início da igreja no Brasil

A história da igreja evangélica no Brasil teve grande influência da missionária sueca Frida Maria Strandberg Vingren, que passou décadas esquecida e tem tido sua memória resgatada por historiadores nos últimos anos.

Frida Vingren se tornou tema de livro, tese de doutorado e voltou a alimentar o debate sobre o papel da mulher na Assembleia de Deus, a maior denominação pentecostal do país, com 12 milhões de fiéis.

Casada com o missionário sueco que fundou a Assembleia de Deus em Belém do Pará, Frida se tornou uma das mais importantes lideranças da igreja nos 15 anos em que esteve no Brasil. Ela ajudou a construir o ministério no Rio de Janeiro, comandou um jornal e foi a primeira mulher a pregar em praça pública.

Início do ministério

Frida chegou Belém em 1917, aos 26 anos, enviada pela Igreja Filadélfia, uma denominação pentecostal em Estocolmo, capital da Suécia. Três meses depois, ela se casou com Gunnar Vingren, que sete anos antes havia fundado a Assembleia de Deus no Brasil.

No início, Frida cuidava dos filhos e restringia seu trabalho aos serviços sociais da igreja, zelando pelos órfãos, visitando os idosos e os doentes - uma responsabilidade tradicionalmente entregues às mulheres.

“A jovem ia com frequência aos centros afastados que isolavam pacientes com hanseníase do restante da população – os chamados leprosários, que surgiram no Brasil naquela época”, disse à BBC News a jornalista sueca Kajsa Norell, autora de Halleljua Brasilien!, lançado em 2011, que conta a história do surgimento da Assembleia de Deus no Brasil.

O marido, missionário por vocação, estava constantemente viajando, mas quase sempre voltasse para casa doente. “Ele ficava muito tempo de cama”, diz o sociólogo Gedeon Freire de Alencar, autor de Matriz Pentecostal Brasileira: Assembleias de Deus, 1911-2011 e um dos primeiros a redescobrir a história de Frida, no início dos anos 2000.

Com o tempo, Frida passou a assumir cada vez mais as atribuições de Gunnar em Belém. Ela começou a traduzir os hinos da igreja sueca para o português, cantava, tocava e pregava.


Gunnar chegou ao Brasil sete anos antes de Frida, em 1910; o casal teve seis filhos. (Foto: Acervo CPAD-CEMP)

“Ela transforma os boletins entediantes dos missionários (publicados nos jornais da igreja sueca) em histórias incríveis. Um dos textos conta sobre a prisão que ela visitava toda semana em Belém, que mantinha 200 garotos entre cinco e 20 anos de idade, alguns que estavam ali simplesmente por não terem pai”, conta Norell.

Frida passou então a bater de frente com o pastor Samuel Nyström, que estava à frente do jornal Boa Semente, da Assembleia de Deus. Por ser radicalmente contra a pregação de mulheres, ele passou a reclamar da missionária em correspondências com a liderança da igreja na Suécia.

Em 1924, com quatro filhos, o casal Frida e Gunnar decidiram se mudar para o Rio de Janeiro para fundar um novo ministério. "Eles decidem sair de Belém porque a tensão já era insustentável", diz Valéria Vilhena, pesquisadora da Universidade Metodista, que baseou o doutorado na vida da missionária e que lança neste ano um livro sobre sua história.

Atuação no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, Frida se tornou a primeira mulher a dirigir uma escola bíblica dominical, fundada em uma prisão. Ela ainda fundou o jornal Som Alegre, onde citava com frequência trechos da Bíblia que, em sua visão, deixavam claro que as mulheres poderiam pregar, ensinar ou doutrinar.

Seu comportamento passou a desagradar também pastores brasileiros, provocando a convocação da primeira grande convenção da Assembleia de Deus, realizada no dia 12 de julho de 1930, em Natal (RN).

“O motivo da convocação foi Frida”, destaca Isael Araújo, pastor da Assembleia de Deus em Niterói e autor da biografia Frida Vingren, lançada em 2014. No encontro, os pastores definiram as atividades que poderiam ser desempenhadas pelas mulheres na igreja — pregar não estava nesta lista.

"Foi um enquadramento", acrescenta Araújo, que foi chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CEMP) da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). Em todo o processo, Gunnar ficou ao lado da esposa e defendeu o ministério feminino, mas foi voto vencido.

Nos meses seguintes, Frida usou seu espaço no jornal para desafiar as decisões tomadas na convenção e para pedir que as mulheres não recuassem. A situação ficou insuportável no Brasil e, em de 1932, o casal, que na época tinha seis filhos, decidiu retornar à Suécia.


Frida na escola dominical em que lecionava, em uma prisão no Rio de Janeiro. (Foto: Acervo CPAD-CEMP)

Antes de partir, contudo, eles perdem a filha mais nova e Gunnar morreu pouco tempo depois de chegar à Europa.

Rumo ao esquecimento

Frida queria retomar a vida de missionária, mas a liderança da igreja no Brasil não aprovava seu retorno e nem mesmo o pastor Lewi Pethrus, um dos maiores líderes da igreja pentecostal na Suécia.

A missionária levantou recursos por conta própria e decidiu ir para Portugal, mas foi detida na estação de trem de Estocolmo e saiu com uma camisa de força em direção ao hospital psiquiátrico no dia 12 de janeiro de 1935. A igreja lhe tirou a guarda dos filhos e doou todos os seus pertences.

Em nenhum dos prontuários médicos, contudo, há o diagnóstico de que ela sofria de algum distúrbio mental. “Ela estava esgotada, física e mentalmente, já tinha tido malária no Brasil e, provavelmente, sofria de alguma doença na tireoide”, observa Kajsa Norell.

Depois de cinco anos entre idas e vindas do hospital psiquiátrico, Frida morreu aos 49 anos, no dia 30 de setembro de 1940, na Suécia, nos braços da filha. Abatida, ela pesava 23 quilos.

Para o pastor Araújo, o conflito direto com as maiores lideranças da igreja está entre as razões para o 'esquecimento' de Frida. Na Suécia, a Igreja Filadélfia foi confrontada com a trajetória de Frida quando o livro de Kajsa Norell foi lançado.

“Aquilo era uma novidade completa para nós”, diz Gunnar Swahn, que foi secretário de

missões da Igreja Filadélfia. “Foi horrível o que fizeram com ela. Muita gente ficou chocada com a forma como ela foi tratada pelas antigas lideranças”.

O ministério de mulheres

As mulheres têm ganhado cada vez mais espaço dentro das Assembleias de Deus no Brasil. Essa tendência, contudo, é bastante assimétrica nas diferentes regiões do país, justamente pelas características da denominação.

Ao contrário da Igreja Católica, bastante hierarquizada, sua estrutura é congregacional. “É como se fosse uma democracia direta”, compara Alencar. Cada congregação define suas liturgias, “tem lugar que aceita mulher, tem lugar que não aceita”.

Questionado se hoje as mulheres podem ser pastoras na Assembleia de Deus, Gunnar Swahn respondeu: "Ah, sim! Nós gostamos de pensar que somos uma igreja progressista”.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

"Tenho aprendido a encarar de cara lavada", diz Ludmila Ferber sobre luta contra o câncer

Posted: 23 Jul 2018 06:55 AM PDT

"Tenho aprendido a encarar de cara lavada", diz Ludmila Ferber sobre luta contra o câncer

Desde que confirmou seu diagnóstico de câncer de pulmão em maio deste ano, Ludmila Ferber tem enfrentado uma difícil caminhada, porém repleta de fortes aprendizados.

No último sábado (21), a pastora, cantora e compositora gravou um vídeo no qual compartilhou uma das principais lições que a luta contra o câncer lhe proporcionou. Apesar da aparência claramente abatida pelos efeitos da quimioterapia e da enfermidade, ela aproveitou o breve momento para enviar uma mensagem de incentivo a todos que enfrentam alguma luta em suas vidas.

"Os desafios que você estiver enfrentando, por mais dolorosos e grandes e difíceis que estejam sendo... O que você tiver que enfrentar, eu tenho aprendido a ter que encarar de cara lavada, olhando firmemente para o autor e consumador da minha fé, porque de fato, em todas estas coisas que a gente passa, nós somos mais do que vencedores", disse Ludmila, retirando seus óculos escuros e o lenço que usava na cabeça.

A cantora e compositora finalizou o vídeo reforçando sua mensagem de motivação aos que a acompanham nas redes sociais. "Você vai vencer, em nome de Jesus! Força e coragem! Deus te abençoe", afirmou.

Cumprimento

Ao que tudo indica, Ludmila está se dispondo a cumprir o que ela acredita ser o propósito maior em sua enfermidade, mostrando que apesar de toda a luta, sua fé continua firme.

“Mas eu sei que Deus quer me usar em todo esse caminho e na hora que Ele quiser, Ele vai dizer: ‘Manifesta o que já está em você, a cura. Manifesto o que já está em você’”, disse a cantora em um depoimento dado em junho deste ano.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

"Pela graça de Deus posso fazer qualquer coisa", diz homem que nasceu sem os membros

Posted: 23 Jul 2018 06:31 AM PDT

"Pela graça de Deus posso fazer qualquer coisa", diz homem que nasceu sem os membros

Um homem de 24 anos nascido em Utah, nos Estados Unidos, veio ao mundo sem os membros. Mas, ele tem sido um exemplo vivo de confiança e gratidão a Deus. “Nada disso seria possível sem a mão de Deus. Por sua graça sou capaz de fazer qualquer coisa", disse Gideon DiMeglio à KSL-TV.

Gideon nasceu em 1994 sem as mãos e braços e com as pernas curtas. Antes de nascer, os pais — que na época eram novos convertidos — sabiam sobre a deficiência de seu quarto filho.

Apesar disso, eles logo descobriram vários dons do garoto. Ele tinha um grande sorriso, uma personalidade extrovertida e se tornou um líder entre os colegas da escola. Dentre suas habilidades, ele adorava desenhar com os pés. Seu desenho preferido é de sua noiva, Brittani Salazar.

“Eu tinha uma pequena queda por Gideon quando eu era pequena. Mas, eu era como sua irmãzinha chata”, disse ela à KSL. Quando criança, ela não via Gideon como deficiente, mesmo estando em uma cadeira motorizada.

"Na 9ª série, tivemos que escrever um artigo sobre alguém que conhecemos que tinha uma deficiência, e eu não conseguia pensar em ninguém", disse ela. A mãe de Brittany explica: “Ela não vê diferenças nas pessoas. Tem sido assim, desde o início”.

Fé e união

Os dois ficaram noivos no dia 22 de abril, cercados por amigos e familiares. O casamento está marcado para março de 2019. A mãe de Brittany disse que a fé uniu o casal.

"Foi muita oração e muita atenção durante os três anos em que eles estiveram juntos", disse a mãe. "Eles sabem o que estão fazendo e estamos convencidos".

Gideon diz que seu futuro é na psicologia. “Liderei um grupo de jovens e ajudei por anos e anos”, disse ele, fazendo referência à sua congregação. "Eu tenho um coração voltado para adolescentes e trabalho com esse grupo", finalizou.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

Palestrante diz que pedofilia é 'orientação sexual' e deve ser aceita pela sociedade

Posted: 23 Jul 2018 05:44 AM PDT

Palestrante diz que pedofilia é 'orientação sexual' e deve ser aceita pela sociedade

As redes sociais de países estrangeiros estão explodindo em indignação depois que uma estudante alemã de medicina deu uma breve palestra no projeto 'TedxTalk', argumentando que a pedofilia é uma "orientação sexual imutável" assim como a heterossexualidade e que "a sociedade deveria aceitar mais os pedófilos".

Mirjam Heine defendeu suas reivindicações perante uma plateia na Universidade de Würtzberg, na Alemanha, durante uma apresentação chamada "Por que nossa percepção da pedofilia tem que mudar".

Uma das maiores razões é "porque a pedofilia é simplesmente outra orientação sexual", ela disse.

"Segundo uma pesquisa atual, a pedofilia é uma orientação sexual imutável, como, por exemplo, a heterossexualidade. Ninguém escolhe ser pedófilo, ninguém pode deixar de ser um", argumentou Heine. "A diferença entre a pedofilia e outras orientações sexuais é que viver essa orientação sexual terminará em um desastre".

O desastre é o abuso sexual de um menor  que ela condenou veementemente. "Deixe-me ser muito clara aqui. Abuso de crianças é algo errado, sem qualquer dúvida, mas um pedófilo que não abuse de crianças não fez nada de errado", disse Heine, acrescentando que a pedofilia é "apenas uma preferência por sexo com crianças".

"Nem todo pedófilo abusa de crianças e nem todo mundo que abusa de crianças é um pedófilo. A diferenciação entre esses dois grupos é essencial", continuou ela.

Heine disse que a sociedade deve ajudar a diminuir o "sofrimento" dos pedófilos, aceitando-os e incentivando-os a não abusar de crianças, sem a necessidade de isolá-los.

"Estudos científicos indicam que um dos mais fortes preditores de abuso sexual infantil cometido por pedófilos é o isolamento social", disse ela. "Não devemos aumentar o sofrimento dos pedófilos excluindo-os, culpando-os e ridicularizando-os. Ao fazer isso, aumentamos o isolamento deles e aumentamos a chance de abuso sexual infantil".

"Devemos aceitar que os pedófilos são pessoas que não escolheram sua sexualidade e que, ao contrário da maioria de nós, nunca serão capazes de vivê-la livremente... A maioria de nós sente desconforto quando pensamos em pedófilos. Mas, assim como pedófilos, nós não somos responsáveis ​​por nossos sentimentos. Nós não os escolhemos, mas somos responsáveis ​​por nossas ações ", insistiu Heine.

Reação

Após a polêmica do vídeo, o projeto 'Tedx' removeu o vídeo do YouTube, pois a ideia de que a pedofilia é apenas outra orientação sexual gerou grande revolta popular nas redes sociais.

Uma das pessoas que discordou dessa afirmação foi a especialista em psicologia comportamental e drogas, Dra. Linda Mintle. "Transtorno pedófilo é um transtorno mental. É um tipo de transtorno mental na categoria de parafilias", disse ela à CBN News.

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, 5ª edição, refere-se à pedofilia como orientação sexual, mas foi posteriormente corrigido pela Associação Americana de Psiquiatria  uma correção que Mintle elogiou.

O psiquiatra e especialista em distúrbios cerebrais Dr. Daniel Amen disse à CBN News que os pedófilos têm cérebros diferentes do restante da população. "Se fizermos a varredura de seus cérebros, eles parecerão mais pessoas com TOC e córtex frontal baixo", disse ele. Isso significa que os pedófilos tendem a ter menos empatia.

A Dra. Mintle acredita que a Igreja pode ajudar os pedófilos a aprender mais sobre empatia e mudar seu comportamento. "Eles precisam de tratamento — entender, restringir e intervir. A Igreja pode trabalhar em treinamento de empatia. Envolve ajudar o ofensor a assumir a perspectiva da vítima e, em identificação com a vítima, entender o dano que foi feito", ela disse.

Embora ambos os especialistas digam que a pedofilia é muito difícil de tratar, é possível que um pedófilo mude se acreditarem que seu comportamento está errado e realmente desejam a transformação, segundo Mintle.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

Rabada

Posted: 23 Jul 2018 05:05 AM PDT

Rabada

Ingredientes

Azeite de oliva para refogar
1 rabada limpa e cortada
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
2 cebolas em cubos
1 folha de louro
2 dentes de alho picados
½ xícara de vinho tinto seco
600 ml de caldo de carne
1 lata de tomates pelados
3 batatas cortadas em rodelas
1 maço de agrião

Modo de Preparo

Refogar no azeite de oliva as rabadas. Temperar com sal e pimenta. Adicionar a cebola, a folha de louro e o alho. Refogar tudo até começar a grudar no fundo da panela. Juntar o vinho tinto e deglacear.

Adicionar o caldo de carne e os tomates pelados. Cozinhar por 1 hora ou até que a carne comece a soltar do osso. Se necessário adicionar mais água. Acrescentar as batatas e deixar cozinhar por 30 minutos. Por fim, juntar o agrião. Deixar ferver por 5 minutos e servir.

Rendimento: 5 porções

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

12 táticas infalíveis para aumentar a imunidade

Posted: 23 Jul 2018 05:02 AM PDT

12 táticas infalíveis para aumentar a imunidade

Você não precisa mais viver a base de comprimidos toda vez que uma frente fria chega. Além de tomar a vacina que protege contra os três tipos principais do vírus influenza, você pode adotar outras medidas para reforçar seu sistema imunológico.

O sistema imunológico defende o organismo contra agressores externos e internos. “Está de prontidão para localizar células cancerígenas e retirá-las de circulação antes que façam estragos”, disse o infectologista Edgar Bortholi, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, ao site Boa Forma.

A Boa Forma reuniu dicas surpreendentes, com base em estudos, que irão reforçar sua imunidade até o início do próximo horário de verão:

1. Manter o cérebro ativo

Atividades intelectuais que exigem planejamento e exercitam a memória levantam a resistência, demonstrou uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos EUA. Ao estudar jogadores de bridge (um jogo de cartas), concluíram que as partidas mobilizam uma área do cérebro conectada à glândula timo. Pouco abaixo do pescoço, 
é a maior responsável por nosso arsenal de defesa: dali partem os linfócitos B (produzem anticorpos), e as células T, chamadas de natural killers (assassinos naturais) pelo modo avassalador como atacam agentes infecciosos.

2. Rir muito

Sorrir é uma saída para diminuir o stress. Quando o cérebro nos prepara para enfrentar o perigo ou fugir, produz dois hormônios: a adrenalina faz
 o coração bater mais rápido e o corpo ficar em alerta; já o cortisol joga mais açúcar
 no sangue (dose extra de energia para os músculos reagirem). Só que ambos derrubam a imunidade. Se a produção for contínua, o organismo se desgasta e pega uma infecção atrás da outra. Além disso, cresce o número de radicais livres, aceleradores do envelhecimento. “Rir inibe a produção desses hormônios imunossupressores e libera endorfinas, que geram bem-estar”, diz Edgar.

3. Ouvir música

Cientistas da Universidade
 de Juntendo, no Japão, submeteram ratinhos de laboratório, que receberam transplante cardíaco, a ópera (Verdi), música clássica (Mozart) e new age (Enya) 24 horas por dia. Depois de uma semana, eles apresentaram aumento das células T, o que facilitou a adaptação ao novo órgão e prolongou a vida dos bichinhos, sobretudo os que ouviram Verdi e Mozart. Os autores do estudo acreditam:
 a música tem o poder de relaxar e reduzir
 o stress. Há também indícios de que, ao ativar áreas do cérebro relacionadas ao prazer, ela aumenta as tais células natural killers.

4. Dica para os casados

Fazer sexo uma ou duas vezes por semana provoca um aumento de 30% nas taxas do anticorpo IgA, segundo um estudo da Universidade Wilkes, na Pensilvânia (EUA), com 112 voluntários. O IgA impede a fixação e a proliferação de vírus, bactérias e outros micro-organismos nas mucosas do intestino, do estômago e da boca – portanto ajuda a barrar gripes e resfriados.

5. Comer bem

Prepare a lista do supermercado: frutas cítricas, pimenta vermelha, brócolis, alho, gengibre, espinafre, iogurte com probióticos, sopa de frango, frutos do mar e chá-verde turbinam as defesas. Mas, em vez de insistir apenas em um ou outro, siga uma alimentação equilibrada e rica em vitaminas e sais minerais – basta colorir o prato com vegetais verdes, hortaliças e frutas. “Além disso, beba mais líquido e não abuse de fast-food, pobre em nutrientes”, orienta Edgar Bortholi.

6. Ver o lado positivo das coisas

Está comprovado: os otimistas vivem pelo menos 12 anos extras, segundo um estudo da Clínica Mayo, nos Estados Unidos. Um outro trabalho, do Centro Médico da Universidade de Pittsburgh (EUA), verificou que as pessoas que lidam com os problemas sem tanta neura respondem melhor à vacina contra hepatite B. Já as negativas e nervosas nem sempre desenvolvem a imunidade esperada.

7. Manter os amigos por perto

O isolamento reduz a eficiência do sistema imune, diz um estudo das universidades da Califórnia e de Chicago, publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences. “A solidão leva à depressão, destrói o equilíbrio emocional e, com isso, deixa a saúde frágil”, diz Edgar Bortholi. Então, pegue o celular e chame uma amiga para almoçar no fim de semana.

8. Treinar com frequência

Um bom motivo para renovar o plano da academia em pleno inverno: o sistema imune de 125 ciclistas amadores, entre 55 e 79 anos, não deixou nada a desejar em relação às células T quando comparado ao de jovens. De acordo com um levantamento inglês, realizado no King’s College de Londres e na Universidade de Birmingham, a produção das células protetoras declina de 2 a 3% ao ano a partir da segunda década de vida.
 “O exercício físico aumenta a oxigenação, e todas as células precisam desse combustível, inclusive as imunológicas”, afirma Edgar, um dos autores do estudo. Mas busque o equilíbrio: malhar em excesso pode ter o efeito contrário.

9. Abandonar o cigarro

Como se não bastasse 
o mal que faz ao coração e ao pulmão, o fumo 
é inimigo do sistema imunológico. “Além de prejudicar
 a oxigenação e o metabolismo das células, o cigarro compromete
 o trabalho dos cílios presentes na mucosa respiratória, que estão em constante movimento para impedir a entrada de invasores”, explica Edgar. Qualquer bactéria que tenta se instalar é varrida por eles, mas não no caso de quem fuma.

10. Reduzir luzes noturnas

A escuridão estimula a melatonina, que induz ao sono e regula o ciclo dia-noite. Já a luminosidade excessiva (da TV, da tela do computador, do celular…) bagunça a produção do neurotransmissor, espanta o sono e atrapalha a síntese de vários hormônios essenciais à imunidade. Enfim, dormir mal diminui a resistência.

Durante 
o sono, o metabolismo baixa e há concentração de energia para nutrir as células. Por isso, a melatonina ajuda a modular o sistema imunológico, garante uma pesquisa da Universidade Glasgow, na Escócia. Dê logo boa-noite aos eletrônicos e tenha bons sonhos!

11. Lavar mais as mãos

Não é neura! O hábito reduz
 em 40% o perigo de infecções (gripes, diarréias, conjuntivites), segundo a Organização Mundial da Saúde. E você precisa só de água e sabão para higienizar as mãos – principal via de transporte de vírus e bactérias adquiridas 
no contato com pessoas doentes ou objetos contaminados (aparelhos da academia inclusive). E, se levadas aos olhos, nariz ou boca, dificilmente seu corpo se livra do contágio. A medida é tão decisiva na prevenção que foi instituído o Dia Mundial de Higienização das Mãos, no mês de maio.

12. Mastigar mais

Mastigar direito é importante para incentivar a liberação de um tipo específico de células T, a Th17, que defende a boca contra bactérias e fungos. Quando você tritura mais vezes o alimento com os dentes, induz o organismo a uma resposta imunológica de proteção à gengiva, segundo Joanne Konkel, autora de um estudo inglês sobre o assunto divulgado no Journal Immunity.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

Extremista hindu interrompe culto e ataca sexualmente esposa de pastor, na Índia

Posted: 22 Jul 2018 09:15 AM PDT

Extremista hindu interrompe culto e ataca sexualmente esposa de pastor, na Índia

Pratibha Stephen estava em adoração na sua igreja doméstica, no estado de Tamil Nadu, na Índia, quando um homem atravessou repentinamente a porta dos fundos gritando com raiva. O intruso interrompeu o louvor e agrediu um membro idoso da congregação. Vendo a situação, Stephen foi impedir, mas o homem a empurrou para longe.

O agressor gritava: "Você não entende o que meu chefe Guruswamy disse a vocês? Você não tem vergonha? Quantas vezes você ouviu falar que não deve haver nenhuma reunião de oração cristã na área?”, questionou.

O extremista hindu, identificado como Ajith Kumar, ficou incontrolavelmente irritado e começou a espancá-la. As informações são do site Morning Star News.

"Eu repreendi-o para que ele não me tocasse e disse que ele deveria sair imediatamente", disse ela. “Ele continuou vomitando palavras abusivas, e em poucos minutos me tocou novamente. Ele puxou meu sari (traje das mulheres na Índia) para longe de mim. Eu resisti a ele com todas as minhas forças e gritei por ajuda”, ressaltou.

Seu marido, o pastor Paul Stephen, estava liderando um culto de adoração em Bhavani Sagar, a cerca de 10 quilômetros de distância. O membro idoso da igreja e alguns outros tentaram empurrar Kumar, mas ele segurou firmemente seu sari, tirou-o e a chutou no chão.

"Eu estava no chão, chorando", disse ela. “Aquele homem tentou puxar minhas calças para baixo e me chutou repetidamente no estômago. Ele então pegou em mim, apertou meus seios e disse: "Hoje vou ensinar uma lição para você e seu marido. Vocês conduzem culto cristão? Como sem vergonha! Vocês dois devem estar desfilando nus por isso'”.

Mais agressores

Antes do culto, Stephen, de 38 anos, ouviu bater na porta de sua casa, onde a igreja se encontra. À medida que as batidas se tornavam cada vez mais altas, Stephen ouvia a pessoa do lado de fora gritar e xingar, e finalmente perguntou qual era o problema. Ela não abriu a porta.

Durante o culto, antes que Kumar pudesse estuprá-la, quatro de seus amigos vieram correndo, empurraram-no para longe dela e o levaram embora. "Eu estava chorando de dor, os golpes no meu abdômen foram graves", disse ela.

Ela ligou para os sogros próximos, que ficaram chocados ao ouvir o que havia acontecido. Por volta das duas da tarde seu marido voltou, e ele disse para denunciar o ataque à polícia imediatamente.

"Nós dois corremos pela porta da frente, sem saber que os cinco homens ainda estavam lá do lado de fora nos observando", disse ela. “Os cinco homens começaram a espancar meu marido e eu me senti fraca, então desmaiei. Meu irmão, Gyana Prashant, se debruçou sobre meu marido para protegê-lo dos golpes. Eles também deram um tapa no meu sogro idoso.

This posting includes an audio/video/photo media file: Download Now

0 comentários: